16 de abr de 2012

“O Cordel Vai à Feira”; Projeto traz de volta cultura popular às ruas da cidade de Sousa


Poeta Antonio Sarinho (Boqueirão, PB) membro da ABES

Uma multidão parou para vê de perto um dos programas mais antigos das feiras nordestinas. O repente, a cantoria de feira-livre havia sido esquecida nos últimos anos, mas a cidade de Sousa, no Sertão paraibano vem resgatando sua história com apoio do Centro Cultural Banco do Nordeste do Brasil.

O bairro da Estação recebeu no sábado (14), o projeto de incentivo cultural “O Cordel Vai à Feira”, com a poesia dos artistas; Antônio Sarinho (de Boqueirão), os repentistas Chico Xavier, Edízio Calixto e Zé Morais.

Da redação
Postado por Folha VIP de Cajazeiras

12 de abr de 2012

FLIBO - Boqueirão, cidade Literária



Durante cinco dias a cidade de Boqueirão no Cariri Paraibano respirou Literatura. Literatura em todas as suas manifestações: poesia, teatro e música. De 21 a 25 de março, a “Cidade das Águas” banhou-se de cultura e recebeu centenas de pessoas que vieram participar da 3ª edição da FLIBO, que este ano teve como tema: Nordeste: Literatura e Teatro, do texto ao palco, homenageando dois expoentes da cultura nordestina, o escritor Bráulio Tavares e a dramaturga Lourdes Ramalho.

Oficinas, palestras, debates, lançamentos literários, exposições, poesia na praça e na feira livre, foram algumas das atividades que aconteceram este ano na FLIBO, que teve início na quarta-feira (21) com a tradicional “Marcha pela Literatura” onde os alunos junto com a Filarmônica percorrem as principais ruas da cidade em direção à Praça da ABES, convidando a comunidade pra ingressar no mundo da literatura e viver, realmente, a poesia. Porque como enfatizou o crítico literário, Hildeberto Barbosa Filho, em sua palestra, “a Literatura deve ser respirada”.

A solenidade de abertura contou com a presença de várias autoridades políticas, o patrono da terceira edição da feira, o poeta Lau Siqueira e da homenageada, Lourdes Ramalho, que bastante emocionada agradeceu a homenagem, exaltando a importância da Flibo, não apenas para a Paraíba, mas para todo o Brasil. O patrono, Lau Siqueira, lembrou que “é grande o reconhecimento e não será difícil o engajamento de intelectuais do Nordeste e de outras regiões. A FLIBO vai tomando ares de política pública. Aos poucos vai influindo positivamente na formação das novas gerações de cidadãos boqueirãoenses e caririzeiros. Tendo o incentivo à leitura e criação literária como vetor vai carregando a cidade para o futuro”.

Nos cinco dias da Feira, passaram por Boqueirão diversas autoridades no campo literário, a exemplo do grande poeta popular Manoel Monteiro, que com sua simplicidade e sapiência prendeu o público por quase duas horas de palestra. Tivemos ainda os escritores Bruno Gaudêncio, Jairo César, Janaina Rico (DF), Wander Shirukaya, Archidy Picado, Tarcísio Pereira, José Inácio Vieira de Melo (BA), Carlito Lima (AL), Vanuza Sousa, Natan Cirino, Mabel Amorim, e ainda Aluizio Guimarães, Rodrigo Motta; As oficinas foram ministradas por Paula Izabela (CE), André R. Aguiar, Kleber Brito, Aparecida Farias, Fátima Barbosa e Adeilson Sousa.

Se de dia, na Praça da ABES, as crianças faziam a festa com o teatro de fantoches, a poesia ao pé do ouvido, a contação de histórias e diversas brincadeiras; a noite, a MPB reinava soberana ao lado dos poetas que, entre uma canção e outra, declamavam os seus poemas. No “De repente, poesia”, a feira livre também se arrumou pra receber os seus poetas, aboiadores, cordelistas e declamadores; todos reunidos em nome da poesia popular, do verso e do repente.

E neste clima, a FLIBO firma sua identidade e desponta como o evento literário paraibano que a cada edição, demonstra que veio para ficar e se perpetuar na história literária do nordeste.

A ABES agradece a todos os envolvidos nesse processo de solidificação do saber, citando a Prefeitura Municipal de Boqueirão, o SEBRAE, Governo do Estado e tantos outros que contribuíram direta e indiretamente para a realização deste evento.

Até 2013, na 4ª edição!

ABES