22 de dez de 2010

Coral Infantil Vozes do Cariri participa do Natal do Menino Jesus


No último dia 19 de dezembro o Papai Noel esteve em Boqueirão no evento realizado pela Prefeitura Municipal. A chegada do "Bom Velhinho" levou uma verdadeira multidão a Praça da Igreja Matriz que estava toda enfeitada com guirlandas e um presépio composto por Maria, José, o Menino Jesus e os Anjos, todos confeccionados com material reciclado.

No Natal do Menino Jesus a programação ficou por conta dos artistas locais com a encenação do Auto do Natal da Cia Teatral Jonas Zuleido e CTRC, com a direção de Cledilson Valentim e Malcy Negreiros, ainda teve a participação do Coral Infantil Vozes do Cariri da Associação Boqueirãoense de Escritores regido pela Cantora Lírica Dayane Maciel.

Crianças do Coral com Dayane Maciel e Cléa Cordeiro (Secretária de Turismo)
.

ABES participa do 1º Salão Internacional do Livro da Paraíba


Aconteceu de 20 a 28 de novembro em João Pessoa o 1º Salão Internacional do Livro da Paraíba. O evento contou com uma programação destinada ao público de todas as idades e teve a presença de escritores como Arnaldo Antunes, Fabrício Carpinejar, Nelida Piñon, Mário Prata, Marina Colasanti e ainda grandes nomes da literatura paraibana. Durante o Salão do Livro também aconteceu o I Forum Paraibano do Livro, Leitura e Biblioteca, nos dias 22 e 23 de novembro, nesses dias a Presidente da ABES, Mirtes Waleska Sulpino, foi convidada a apresentar os projetos realizados pela associação numa Roda de Diálogo formada por Marcus Vinicius (AMAR/SOMBRÁS), Magno Nicolau (Ideia Editora), Assis Almeida (Almeida Livraria) e ainda o escritor Mário Prata.

Ainda no dia 27 (sábado) as escritoras da ABES, Jane Luiz Gomes, Aparecida Farias e Gelda Moura, além de Cleide Lima, Pedro Augusto e as professoras Francitânea Albuquerque e Andreza Andrade visitaram o Salão Internacional do Livro no Espaço Cultural.

 

.

Semana Cultural em Imagens



8 de nov de 2010

SEMANA CULTURAL - PROGRAMAÇÃO

PROGRAMAÇÃO

10 A 13 DE NOVEMBRO


10/11 (quarta-feira) – Praça da ABES
15h00 - Oficinas
19h00 – Abertura da 1ª Semana Cultural Boqueirão em Verso & Prosa
19h30 – O Papel da Universidade na Sociedade Palestra com Prof. Wagner Braga Batista – UFCG
20h20 – Poesia Contada
21h20 – Momento Musical


11/11 (quinta-feira) – Praça da ABES
10h00 – Lê pra mim?
15h00 – Oficinas
19h15 – Palestra do Contador de Causos Horácio de Almeida Lima (Escritor Campinense)
19h40 Academia e Literatura Paraibana – Palestra com Ailton Elisiário (Presidente da Academia de Letras de Campina Grande)
20h20 Debate-papo com os escritores Efigênio Moura, autor de “Eita Gota” e de “Ciço de Luzia”, novo lançamento e Mabel Amorim, autora de “A última chance”.
21h00 – Poesia Contada
21h30 – Momento Musical


12/11 (sexta-feira) – Praça da ABES
10h00 – Lê pra mim?
15h00 - Oficinas
19h15 - A Invenção do Humano: Representações do Mundo Social na Literatura - Debate-papo com Bruno Gaudêncio
20h15 – Poesia Contada
21h15 – Momento Musical


13/11 (sábado) – Praça da ABES
08h00 – Posso ler um poema pra você?
Local: Feira Central
15h00 - Oficinas
19h00 - Exibição de Curtas
19h30 – Música e Literatura, Palestra com Marisa Nóbrega, Educadora Musical da UFCG
20h30 - Abertura da Exposição fotográfica “Leituras do Cotidiano”
21h30 – Momento Musical


Oficina de Contação de História
Facilitadora: Cris Leandro (Boneca Flor)
Taxa: R$ 10,00
Local: ABES
Orientação pedagógica de Jane e Magna Vanuza


Oficina de Fotografia na Melhor Idade
Tema: Leituras do cotidiano
Facilitador: Malcy Negreiros
Taxa: R$ 10,00
Local: ABES
Com orientação pedagógica de Jane e Magna Vanuza
Serão escolhidas DUAS foto de cada participante para se montar uma exposição que acontecerá na ABES, no último dia da semana cultural
.

1 de nov de 2010

Associação realiza I Semana Cultural "Boqueirão em Verso & Prosa"



de 10 a 13 de novembro

Mais um movimento cultural agita a "Cidade das Águas", às vésperas do V Balaio Cultural, que acontece de 1º a 5 de dezembro. A Associação Boqueirãoense de Escritores, realiza de 10 a 13 de novembro a I Semana Cultural "Boqueirão em Verso & Prosa", com o tema Literatura e Sociedade. Durante os quatro dias acontecerão palestras tratando o tema nas áreas de História e Filosofia, Música e Cinema, além de oficinas de Contação de Histórias e de Fotografia para a Melhor Idade, com exposição ao final do evento. Na programação ainda tem Saraus poéticos com poetas locais e convidados, momento para as crianças na Praça onde a ABES fica localizada e no último dia os poetas invandem a feira, com "Poesia ao pé do ouvido".
Todo o evento é gratuíto, à exceção das oficinas que serão cobradas uma taxa de R$ 10 para despesas com material.

A ABES é uma entidade sem fins lucrativos que conta para a realização deste evento da ajuda dos seus associados, da comunidade e dos parceiros convidados a participarem como palestrantes e oficineiros.

Em breve programação completa!

A ABES realizou em março deste ano, a FLIBO - Feira Literária de Boqueirão, de 18 a 21 de março que teve como tema "A Importância da Leitura para a Sociedade". Para a segunda edição, o tema será DIVERSIDADE E IDENTIDADE CULTURAL: Preservando os saberes e fazeres de um Povo. A data prevista para acontecer o evento será de 23 a 27 de março.
.

29 de out de 2010

29/10 Dia Nacional do Livro



Por que 29 de outubro foi escolhido para ser o dia nacional do livro? porque é a data de aniversário da fundação da Biblioteca Nacional, que nasceu com a transferência da Real Biblioteca portuguesa para o Brasil em 1810.

O primeiro livro publicado no Brasil foi Marília de Dirceu de Tomás Antônio Gonzaga. Naquele tempo o imperador exercia censura à imprensa o que era um atraso. Sempre é , independente da época e lugar. Mesmo que seja no Brasil e mesmo que seja censura a jornais ou blogs. Então, somente com a fundação da Cia. Editora Nacional em 1925, por Monteiro Lobato, é que o mercado editorial brasileiro começou a crescer.

Retirado do Blog Livro Errante

25 de ago de 2010

Coral Infantil VOZES DO CARIRI

 


Com o intuito de promover a integração entre música e poesia, a ABES inicia o Projeto do Coral Infantil Vozes do Cariri, composto por crianças do município de Boqueirão, com o propósito de despertar o prazer de cantar. A descoberta deste instrumento, tão importante para o desenvolvimento musical, torna possível assimilar elementos fundamentais, como percepção auditiva, afinação, ritmo e compreensão do indivíduo em relação ao conjunto.

O repertório tem como base músicas folclóricas e de domínio popular, chegando a uma coletânea de gêneros diversos. Mas a interpretação do Coral Infantil Vozes do Cariri não se limita à expressão vocal, pois também trabalha a parte teórica. As etapas deste aprendizado se completas com a gratificante experiência de se apresentar em público.


Coral Infantil (para crianças de 07 a 12 anos)
Ensaios: Sábados
Horário: das 14h às 15h
Regente: Dayanne Maciel (Cantora Lírica do Coral da UFCG)
.

DIA NACIONAL DO ESCRITOR (25 DE JULHO)

À convite da ABES, a Poetisa Fidélia Cassandra veio nos brindar com um bate papo sobre a Sensualidade na Poesia. Momento ímpar!



E durante o dia, uma graça de Flor. Contação de histórias com a Boneca Flor.

(Usuários do CAPS)

(Alunos das Creches municipais)

(Alunos da Escola Criativa da Mônica)
.

22 de jul de 2010

ABES comemora Dia Nacional do Escritor



Em comemoração ao Dia Nacional do Escritor, a ABES (Associação Boqueirãoense do Escritor) estará promovendo um bate-papo literário com a Escritora Fidélia Cassandra sobre "A sensualidade na poesia". Na ocasião, acontecerá um belíssimo Sarau Poético com a escritora e os escritores da ABES, além de uma sessão de autográfos do Livro Plumagem da escritora e compositora campinense.

Local: CEFAR
Data: 26/07
Horário: 19h
Boqueirão - PB
.

18 de jul de 2010

Reconhecimento de Utilidade Pública


Essa é mais uma conquista da ABES e o reconhecimento pelo nosso trabalho.
.

ABES participa de I Concurso de Cordel Criativa



 
A Associação Boqueirãoense de Escritores participou do I Concurso de Cordel realizado pela Escola Criativa da Mônica. O Concurso foi realizado pela professora Kézia Talita com a sua turma do 5º ano. Participaram onze crianças, sendo premiados os cinco primeiros colocados com medalhas e troféu para o primeiro colocado, além de um exemplar da Coletânea Poética "Novos Poetas do Cariri Paraibano" da ABES.
A comissão julgadora foi composta pelas escritoras Magna Vanuza Araújo, Jane Luiz Gomes e pela professora Andresa que também é cordelista. A Classificação foi a seguinte: 1º Emanuele Pereira, 2º Giselle Paula, 3º Rafaela Christina, 4º Débora Laís e 5º Vitória Suellen.
.

22 de abr de 2010

CONVITE LANÇAMENTO COLETÂNEA


A TERRA DE TATAGUASSU, QUEIMADAS, IRÁ RECEBER OS NOVOS POETAS DO CARIRI PARAIBANO.

E VOCÊ É O NOSSO CONVIDADO!



16 de abr de 2010

Sobre a FLIBO


André Ricardo Aguiar, ressaltou a importância da iniciativa. "O evento criou mais uma oportunidade de intercâmbio, fomento e divulgação de nossa literatura e um maior diálogo entre as diversas manifestações artísticas, onde escritores e poetas puderam apresentar suas respectivas obras", revelou.

(chefe da Divisão de Literatura da Funjope)
.

13 de abr de 2010

FLIBO 2011



A II FLIBO já está em movimento

Os projetos de organização e captação de recursos já estão encaminhados às agências de fomento. O homenageado será o escritor Paraibano ARIANO SUASSUNA e o Tema da II Feira Literária de Boqueirão será: DIVERSIDADE E IDENTIDADE CULTURAL: Preservando os saberes e fazeres de um Povo. A data prevista para acontecer o evento será de 23 a 27 de março.

A diversidade cultural é um tema que interessa a todos os povos, uma vez que implica no seu desenvolvimento. Falar em diversidade cultural é um assunto que está ligado à cultura dos povos. São expressões, gêneros, linguagens, gostos, costumes e tradições locais etc. é olhar para o povo e ver o seu eu estampado no dia-a-dia, buscando garantir aos mesmos a democratização e o acesso aos bens culturais, sendo estes o seu maior patrimônio.

Neste sentido, a II Feira literária de Boqueirão (FLIBO) se propõe a difundir a diversidade cultural da Paraíba, evidenciado suas raízes, gente e a sua cultura.

Mais uma vez a Associação Boqueirãoense de Escritores, Prefeitura Municipal, SECULT e SEDUC reunem-se em prol da cultura e literatura paraibana e busca outros parceiros para ampliar ainda mais esta proposta.

O que você acha? Comenta!


“Não pode nenhum poeta — nem ninguém — ter a pretensão de estabelecer rumos e regras para a poesia. Não resta dúvida de que a poesia, como qualquer outro fenômeno social, está sujeita a determinações do espaço e do tempo históricos mas o modo como essas determinações atuam sobre a produção do poema é absolutamente impossível de prever-se.”

FERREIRA GULLAR

31 de mar de 2010

20 de abril "Dia do Poeta Paraibano"



DEBAIXO DO TAMARINDO

No tempo de meu Pai, sob estes galhos,
Como uma vela fúnebre de cera,
Chorei bilhões de vezes com a canseira
De inexorabilíssimos trabalhos.

Hoje, esta árvore, de amplos agasalhos,
Guarda, como uma caixa derradeira,
O passado da Flora Brasileira
E a paleontologia dos Carvalhos!

Quando pararem todos os relógios
De minha vida, e a voz dos necrológios
Gritar nos noticiários que eu morri,

Voltando à pátria da homogeneidade,
Abraçada com a própria Eternidade
A minha sombra há de ficar aqui!

(Augusto do Anjos)


Festival Poesia Encenada abre inscrições


Já encontram-se abertas as inscrições para o Festival Poesia Encenada do SESC, evento que movimentará a Área de Lazer do SESC Centro João Pessoa entre os dias 11 e 13 de maio próximos. De acordo com os organizadores, o prazo para inscrições vai até o dia 17 de maio e a divulgação dos 30 poemas selecionados será feita no dia 23/05.

Na sexta versão do festival, serão conhecidos as sete (7) melhores apresentações artisticas que reinterpretarão os poemas selecionados, com temário livre, através da avaliação de uma comissão especializada, que mais uma vez mobilizará profissionais do teatro, dança e literatura. Segundo Ingrid Trigueiro, atriz e diretora “o que se espera mais uma vez é que o evento leve à Área de Lazer apresentações de diversos setores que influenciam o movimento cultural paraibano, especialmente os novos talentos, sejam autores, diretores, atores e atrizes. Na Paraíba aprendemos a nos conhecer também como poetas que somos, e o SESC vem contribuindo para afirmar nosso estado como celeiro de notáveis poetas e artistas”.

Para se inscrever o poeta interessado deve apresentar quatro cópias do poema, podendo inscrever até três poemas.A inscrição pode ser feita no Setor de Cultura do Sesc Centro João Pessoa, no horário das 8 h00 às 18h00, valendo a data de postagem nos Correios para os poetas interessados que atuam no interior do estado, até 17 de abril, considerando que a cada ano o festival do Sesc vem conquistando mais adesões de pessoas radicadas em Sapé,Cajazeiras, Monteiro, Sumé, Nazarezinho, Patos, Boqueirão, Cuité, Pedras de Fogo, Guarabira, Campina Grande,Sousa e Triunfo. No ato da inscrição deve ser indicado o nome do intérprete da poesia, caso seja selecionada.

O ator Joth Cavalcanti, que já participou de etapas anteriores registra que “após o encontro possibilitado logo no início do ano por meio da montagem da Paixão de Cristo, quando nos juntamos para fazer, na verdade, uma grande confraternização da categoria, vem o SESC tradicionalmente funcionar como mais um abre alas anual do movimento, até mesmo porque o “Poesia” costuma reunir nomes já consagrados e tantos outros novatos que só fazem nos estimular a produzir com mais dedicação e criatividade”. As sete melhores apresentações avaliadas após as noites de eliminatórias (dias 11 e 12/05) e finalissima (13/05) receberão cada uma delas R$1.000,00. O vencedor do Festival no ano passado foi o poeta Ricardo Lucena, apresentando o poema “Beija Flor”, cujo intérprete, o ator Thardely de Lima ( representante do movimento artístico de Cajazeiras) conquistou o troféu de melhor colocado em sua categoria.

As inscrições podem ser feitas no setor cultural do SESC, que fica localizado na Rua Desembargador Souto Maior, 281.
.

24 de mar de 2010

ABES divulga resultado do 2º Prêmio Cactos de Poesia


A Associação Boqueirãoense de Escritores (ABES) divulgou no último dia 20/03 (sábado) o resultado do 2º Prêmio Cactos de Poesia e também realizou a entrega da premiação. O Concurso foi realizado dentro da programação da I Feira Literária de Boqueirão - FLIBO e a cerimônia de entrega da premiação e dos certificados aconteceu no Centro de Formação Artística de Boqueirão.

O Concurso contou com 26 poetas inscritos de toda a Paraíba e teve os seguintes premiados:
1º Lugar
POEMA: PENSAR A PEDRA
AUTOR: JOSAFÁ DE ORÓS

2º Lugar
POEMA: SÉCULO XX – O SÉCULO DA GUERRA E DO GENOCÍDIO
AUTOR: PAULO SÉRGIO DE AGUIAR CAMPOS (PAULINHO DE CABACEIRAS)

3º Lugar
POEMA: IDEOGRAMAS DA ERA BIOLÓGICA
AUTOR: MIGUEL LUNETTA

4º Lugar
POEMA: A PORTA
AUTOR: AGNALDO MIGUEL

5º Lugar
POEMA: VESTIGIOS DE UM AMOR QUE NÃO VOLTA MAIS
AUTOR: AUGUSTO LIMA

PREMIAÇÃO ESPECIAL:

POEMA: PRIMEIRAS POESIAS
AUTORA: KAREN EVELLYN ARAÚJO ALBUQUERQUE

DEMAIS PREMIADOS:
6 – CÍCERO ANTONIO DIAS PEREIRA (LÁ NO CARIRI)
7 – BRUNO RAFAEL DE ALBUQUERQUE GAUDÊNCIO (SER SERTÃO, VIRAR MUNDO)
8 – ANTONIO TRAVASSOS SARINHO (ONDE O IMPROVISO MORA)
9 – MANOEL LEITE GARRIDO (QUER SABER O QUE É CACHAÇA? NÃO BEBA, PRESTE ATENÇÃO)
10 – RODRIGO ARAÚJO CABRAL (RELAÇÕES PREOCUPANTES)
11 – NATAN BARROS PEREIRA (REENCARNAÇÃO)
12 – LAÉRCIO FERREIRA DE OLIVEIRA (SERTANEANDO)
13 – QUELYNO SOUZA (RETRATO DE MÃE)
14 – JOEL MACEDO DA SILVA (BOQUEIRÃO, MINHA TERRA AMADA)
15 – ALEX MIKAEL DIAS DE ARAÚJO (A SECA)
16 – CHERLENE BEZERRA DA SILVA (NINHO DE AMOR)
17 – JULIANA MARIA SOARES DOS SANTOS (O ESPELHO E EU)
18 – JOSÉ FRANCIELDO GOMES DE SOUSA (HERANÇA DE VAQUEIRO)
19 – ROSIMERY GOMES SILVA (DEPRESSÃO)
20 – EZEQUIEL SILVA DO NASCIMENTO (MATEMATICA DO AMOR)
21 – ERIVALDO DA SILVA NASCIMENTO (LAGRIMA)
22 – JOHN WAYNE ANDRE DA SILVA (ALÉM DE MIM)
23 – MARIA CAROLINA ANDRADE SILVA (NATAL)
24 – FRANCISCO TIAGO ARAUJO BARBOSA (CHUVA)
25 – PRISCILA ISABEL ARAUJO ALBUQUERQUE (USE SUA ILUSÃO)

Os poemas foram avaliados por três jurados: Samelly Xavier (escritora, autora de livros de contos e poesias), Ronaldo Evaristo (escritor, editor da RG Editora) e Conceição Araújo (Professora e escritora).

BOQUEIRÃO, 20 de março de 2010.

Comissão Organizadora
.

Escritores da ABES lançam a I Antologia Poética na FLIBO


Capa Antologia "Novos Poetas do Cariri Paraibano"
108 páginas | R$ 10,00
À venda na ABES e na Papelaria Moderna (Boqueirão | PB)

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: PREFÁCIO

Saudação aos Poetas do Cariri Paraibano

O meu encontro com os Novos Poetas do Cariri Paraibano se deu numa manhã de dezembro, na última Reunião do Instituto Histórico e Geográfico do Cariri, na cidade berço do Instituto São João do Cariri. Fiquei encantada com a Exposição Parede Poética. Esta se descortinou, para mim, numa vigorosa fluência poética dos poetas ali representados, onde o registro do olhar sensível e pensante do nosso Cariri se fez em sentimentos revelados de vidas “vestidas de mantos vermelhos ou de colorido abadás dos fatos sociais”.

Hoje a Parede Poética se torna um Livro! Neste toda a expressão de nosso poder, agora, ecoando para o Mundo, a nossa relação com a Terra, numa definitiva vocação de aqui se fixar, isto é, nem por ouro nem por prata deixar a terra quer nos dá pão e poesia...

Com esta coletânea, de poesias e poetas, nasce no Cariri mais uma estrela de infinita grandeza vindo com ela uma profusão de impactos diante da significação de nossas dores, cores, amores e cânticos... Não se pranteia as “mortes severinas” ou as “vidas secas”, mas um verdejar de poesias de si mesmo que vadeiam por entre campos e ruas, como numa ressurreição ancestral onde tudo é um só; não o se chora o cotidiano difícil, mas se canta o próprio viver em redundantes repentes íntimos onde a lírica triunfa num Tempo Novo que já chegou.

Este leque de Poesias, cheias de sol e de cactos, de pássaros, de flores e de mil faces do viver o adornam de Humanidade e de Destino.

O Destino destes poetas já está traçado no compasso determinado, ousado e terno da Poetisa Mirtes Waleska Sulpino na Associação Boqueirãoense de Escritores.

Este é só o começo!
Creio, profundamente, que assim seja!

Campina Grande, Verão de 2010.

Profa. Maria da Conceição Gonçalves Pereira Araújo
Poeta/Escritora, Caririzeira de Boa Vista.
.



.

Flibo começa como semente plantada na véspera do Dia de São José


Em clima de semente plantada na véspera do Dia de São José, começou ontem, dia 18, a 1ª Feira Literária de Boqueirão (Flibo). A solenidade de abertura foi realizada durante a noite, na casa de shows Hitz, localizada no centro de Boqueirão, município do Cariri paraibano. O evento é promovido pela Associação Boqueirãoense de Escritores (Abes) e a Prefeitura Municipal de Boqueirão e teve como atração principal o poeta Jessier Quirino.

A abertura da 1ª Flibo contou com a presença de autoridades representantes do Ministério da Cultura, do Governo do Estado da Paraíba, da Prefeitura e da Câmara Municipal, bem como da Superintendência do Sebrae na Paraíba.

Também estiveram presentes os membros da Abes, do Conselho Estadual de Cultura, da Festa Literária Internacional de Paraty (RJ), do Instituto Hispano Brasileño da Espanha, além de escritores dos mais variados recantos do Estado. Um dos destaques da noite de abertura foi o show do poeta Jessier Quirino.

De acordo com a presidente da Abes, a poetisa Mirtes Waleska Sulpino, a Flibo promete fartura. “Este é o nosso primeiro ano e já estamos conseguindo uma aceitação privilegiada de várias entidades que lidam com a literatura no Brasil e no mundo, bem como a parceria com órgãos públicos, portanto, acreditamos que esta é uma semente que dará muitos frutos para a cultura de Boqueirão, da Paraíba e do país”, ressaltou.

Para o prefeito do município, Carlos José Marques, a 1ª Flibo representa a ousadia de um povo. “Reconhecemos que é com coragem, dedicação e credibilidade no nosso potencial que realizamos um evento deste porte”, ressaltou.

Tarciana Portella, Chefe da Regional Nordeste do MINC, falou da importância desse tipo de evento para o crescimento da população quanto agente cultural capaz de produzir ações voltadas a memória e a conservação das suas raízes culturais. E que os órgãos públicos e a iniciativa privada tem o dever de apoiar estes projetos pois quem faz cultura é o povo.

Segundo a coordenadora geral da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), Cristina Maseda, que está participando de todas as atividades da 1ª Flibo, é preciso acreditar neste tipo de projeto. “Nós começamos desta forma lá em Paraty e hoje já conseguimos realizar um evento de repercussão internacional que revoluciona a cultura e o turismo da nossa região”, frisou.

Fotos da FLIBO
.

27 de fev de 2010

28/02/2009 - 28/02/2010 - ABES: UM ANO DE ATUAÇÃO E REALIZAÇÕES

Boqueirão, 28 de fevereiro de 2009.

Saudações Literárias e Culturais,

Há um ano um grupo de entusiastas, amantes da prosa e poesia, fundaram a Associação Boqueirãoense de Escritores - ABES. Timidamente começaram a movimentar a cultura literária do município. Primeiro, veio o concurso literário, e a ABES tornou-se definitivamente conhecida, ganhou a cidade, as ruas, a Praça!

Muitas realizações, muitas conquistas. Uma parede poética, que fez-se grande e este ano se concretiza em livro: Coletânea dos Novos Poetas do Cariri Paraibano, que será lançada na 1ª FLIBO - Feira Literária de Boqueirão. Um projeto pioneiro no estado, e que com a ajuda dos que fomentam a cultura do nosso país, irá crescer e gerar bons frutos a cada ano.

ABES, primeira associação de escritores - ativa e atuante - da Paraíba.

Nós da ABES, só temos a agradecer àqueles que acreditaram em nosso trabalho, na nossa luta, na nossa teimosia e ousadia. Uma associação de escritores, não apenas para escritores, mas para quem acredita na transformação da sociedade através da leitura e do conhecimento que ela nos traz.

Parabéns à nós que fazemos a Associação Boqueirãoense de Escritores!

Mirtes Waleska Sulpino
Membro fundadora e Presidente da ABES
Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Cariri Parahybano - IHGC
.

**********************************************
Convite à cultura

Vamos despertar ó cidade!
O sol majestoso já está a postos
E o vento sopra ao nosso favor.

Vamos cantarolar pelas ruas,
ao som das bandas da cidade,
venham, vamos comemorar juntos
o aniversário da ABES!

Vamos recitar nossos poemas,
receber em roda de viola
os velhos poetas e ouvir deles
os poemas da vida, da nossa história;
de um passado que se não de escrita,
mas de viva memória!

Bora! Venham olhar o futuro que já chegou,
vislumbrar a nova cultura que se iniciou
e correr para o abraço fraterno,
ao poeta que ainda decifra as primeiras rimas,
desabrochando em seu interior.

Acolher jovens, meninos e meninas,
que perambulavam a procura de palavras
Sem caminhos, sem chão, em nenhuma direção;
com ricas ideias soltas num vasto campo de interação,
desperdiçados pela falta de oportunidade,
que, hoje, é promovida pela ABES.

"Novos poetas do Cariri paraibano":
ousadia, valentia, determinação!
É a cultura que escorria de nossas mãos,
que outrora era perdida no tempo;
e hoje, se eterniza em ação.

A ABES abrigou a poesia,
o conto, os cordéis,
a literatura como um todo,
e como o todo se fez grande!

Será a precursora das histórias mais lidas
por esses cariris à fora, Brasil de antes,
Paraíba de agora!
Que às gerações,
perpetuará nossa memória!

Magna Vanuza Farias Araújo
Sócia fundadora da ABES
.

20 de fev de 2010

Shiley Vasconcelos e o "Fim do mundo"


Baseado numa história contada na roda de conversa de família, o "Fim do mundo" foi criado na intenção de promover uma leitura prazerosa, onde o leitor tem oportunidade de dar boas risadas com os personagens que se vêem no desespero quando pensam que o mundo irá acabar em apenas alguns segundos. Com medo de Deus não salvar suas almas começam a fazer engraçadas confidências pedindo perdão aos céus por tudo que de errado cometeram. Ilustração de Genaldo, artista plástico boqueirãoense.


O "Fim do mundo" é o primeiro cordel publicado por Shirley Vasconcelos em novembro de 2009.
.

Poetisa Gêlda Moura lança cordel contando a história da ABES


Em seu folheto a autora relata como se deu a fundação da Associação Boqueirãoense de Escritores, em 28 de fevereiro de 2009, rimando versos com a história de quem queria propagar a poesia e a prosa.

"Quando alguém quer vencer
e sentindo a vida dar
faz como a Jane e a Mirtes
Que queriam propagar
os poemas que escreviam
para o povo do lugar"
(...)

"Foi assim que'las pensaram
em uma associação
pra reunir escritores
dessa nossa Boqueirão..."
(...)

"Porém enquanto não tinha
espaço pra reunião
a casa de Mirtes era
usada sem locação
Mirtes, muito obrigada
por sua compreensão"

"A garrafa de café
de jeito nenhum faltava
quando havia poetas
reunidos numa casa..."
(...)

"Nós formamos uma equipe
que parece mais família
um sempre ajudando o outro
sem ganância e sem cobiça
o "cafezim" acompanha
esses pequenos artistas"

"Quero que vocês conheçam
toda a equipe da ABES
da direção ao conselho
escritores da cidade..."

"Jane Luiz e Mirtes
Cleide e Aparecida
Marlene Pereira e Malcy
Paulina e Lúcia Batista
Paulo da Mata e Shirley
São pessoas de conquistas"

"Maxwell Fernandes
Gêlda Moura e outros mais
tem poetas e contistas
que chegaram nesse "cais"
tem também os cordelistas
artesãos e os demais"
(...)

"Deixo aqui um pedacinho
o começo de uma história
da nossa querida ABES
que agora se aprimora
aguardem próxima edição
o restinho dessa história"

Gêlda Moura
Poetisa Boqueirãoense
(outubro de 2009)
.

5 de fev de 2010

Todas as cartas de amor...

Fernando Pessoa
(Poesias de Álvaro de Campos)

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos, 21/10/1935

Ouça esse belíssimo poema na voz de Maria Bethânia

.

10 bons livros para se comprar com até 10 Reais


1 - O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde;
2 - Juventude, de Joseph Conrad
3 - Sonetos para amar o amor, de Luiz Vaz Camões;
4 - O homem que sabia Javanês, de Lima Barreto
5 - Noite na Taverna, de Alvares de Azevedo
6 - O mandarim, de Eça de Queirós;
7 - Kaos, de Millor Fernandes;
8 - A festa no castelo, de Moacir Scliar;
9 - Autobiografia de um crápula, de Jeanette Roszas
10 - O poderoso Zé, de Luiz Antonio Aguiar

Ps.: Os valores, foram pesquisados na data da postagem, e como as vezes há promoção, eles podem se diferenciar.

Fonte: http://listasliterarias.blogspot.com
.

A Lenda de Caturité em Literatura de Cordel


“A Lenda de Caturité”, folheto com 24 páginas, de autoria dos poetas Vanderley de Brito e Raimar Redoval de Melo, conta a lendária tragédia protagonizada por um chefe indígena Cariri, chamado Caturité, e sua bela filha Potira, que depois de uma aventurosa fuga do burgo de Carnoió, perseguidos pelos soldados do Capitão-mor Teodósio de Oliveira Ledo, se precipitaram do alto de uma montanha no Cariri paraibano em sinal de resistência à conquista de suas terras pelos portugueses.

A lenda é centenária remonta o período da interiorização da Paraíba e vem sendo contada oralmente por gerações para explicar o nome da montanha e do município de Caturité. Em fins do século XIX o historiador paraibano Irinêo Joffily publicou em três capítulos na Gazeta do Sertão de 11, 18 e 25 de janeiro de 1889 uma versão que lhe foi narrada por um ancião da região.

A versão que agora se apresenta em literatura de cordel, com 80 setilhas, rigorosamente metrificada em rimas soantes, é baseada no texto de Joffily, com acréscimos obtidos na história oral e em estudos etnográficos, históricos e geográficos mais atuais.

Esse trabalho de literatura popular é mais uma obra de resgate das tradições ameríndias que a Série Arqueológica de Literatura de Cordel, da Sociedade Paraibana de Arqueologia, e traz às letras poéticas a famosa lenda proto-histórica para ensinar, instigar e encantar o público leitor do gênero.

.

29 de jan de 2010

Mais presentes em forma de LIVROS

Dessa vez a ABES teve a honra de receber os livros da escritora ROSEANA MURRAY. Sabe quem ela é?

Nasceu no Rio de Janeiro em 1950. Graduou-se em Literatura e Lingua Francesa em 1973 (Universidade de Nancy/ Aliança Francesa).

Publicou seu primeiro livro infantil em 1980 (Fardo de Carinho, ed. Murinho, R.J). Em 2007 tem mais de 50 livros publicados. Tem dois livros traduzidos no México (Casas, ed. Formato e Três Velhinhas tão velhinhas, ed. Miguilim/ Ibeppe) . Seus poemas estão em antologias na Espanha. Tem poemas traduzidos em seis linguas ( in Um Deus para 2000, Juan Arias, ed. Desclée e Maria, esta grande desconhecida, Juan Arias, ed. Maeva.).

Recebeu o Prêmio O Melhor de Poesia da FNLIJ nos anos 1986 (Fruta no Ponto, ed. FTD), 1994 (Tantos Medos e Outras Coragens, ed. FTD) e 1997 (Receitas de Olhar, ed. FTD).

Vejam os presentes:

  

Quem quiser conhecer mais sobre a escritora é só acessar:
.

26 de jan de 2010

Campina Grande realiza I Encontro de Literatura Contemporânea:



foto retirada da internet

Mais um grande evento voltado a Literatura acontece no mês de fevereiro, durante o 19º Encontro da Nova Consciência em Campina Grande. Organizado pelo Núcleo Literário da Revista Blecaute, o encontro promete abrir espaço para debater questões voltadas a lieratura contemporânea.

I Encontro de Literatura Contemporânea:
Identidades, Militâncias e a Nova Consciência.
14 e 15 de Fevereiro de 2010
SESC Centro - Campina Grande

Objetivos
• Criar um espaço de discussão voltado para a literatura contemporânea;
• Estimular o debate sobre a relação entre a literatura e o despertar de uma nova consciência;
• Apresentar ao público questões relacionadas às identidades e militâncias na literatura contemporânea;
• Debater as principais características das produções literárias na primeira década do século XXI.

Organização:
Bruno Gaudêncio
Janailson Macêdo Luiz
João Matias de Oliveira
NÚCLEO LITERÁRIO BLECAUTE
.

16 de jan de 2010

II Concurso Literário - Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010


 
I – DO EVENTO E SEUS OBJETIVOS:
 
Em virtude da realização da 1ª Feira Literária de Boqueirão – FLIBO 2010, a ABES lança o II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010
 
Art. 1º O II Concurso Literário, é uma realização da ABES – Associação Boqueirãoense de Escritores e será realizado na cidade de Boqueirão – PB, no período de 16 de Janeiro a 12 de fevereiro de 2010.
 
Art. 2º Poderão inscrever-se no II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010 todos os poetas, residentes no Estado da Paraíba; exceto os POETAS QUE FAZEM PARTE DA DIRETORIA E DO CONSELHO DE ÉTICA DA ABES.
 
Art. 3º As obras devem ser exclusivas no idioma português, sendo inéditas e originais.
 
Art. 4º O Tema é Livre e não será cobrada taxa de inscrição e, também, não será oferecida premiação em dinheiro.
 
Art. 5º O II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010 tem como objetivos:
a) A promoção dos poetas, favorecendo o intercâmbio de idéias na busca de espaços para divulgação dos mesmos;
b) Fomentar a discussão entre artistas e população, criando espaços para manifestações entre educadores e educandos, para um maior crescimento cultural;
c) Descobrir novos talentos da poesia Paraibana.
 
II – DAS INSCRIÇÕES:
 
Art. 6º As Inscrições serão feitas na Secretaria de Cultura e Turismo (SECULT) Rua Nossa Senhora do Desterro, 658, Bairro Novo, CEP: 58450-000, Boqueirão/PB, II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010, A/C Mirtes Waleska Sulpino. Valendo como data de entrega o carimbo dos correios; e in loco até o encerramento (12/02/2010) impreterivelmente até às 14h.
 
§ 1º - As inscrições poderão ser feitas, PESSOALMENTE, VIA CORREIOS E AINDA POR EMAIL: flibo2010@gmail.com;
§ 2º - O período de inscrição será de 16 de janeiro a 12 de fevereiro de 2010.
 
Art. 7º A formalização das inscrições se processará mediante a entrega das poesias datilografadas em espaço dois ou digitadas em espaço simples (Word), em quatro vias acompanhadas da identificação do autor (Nome, endereço completo, telefone, e-mail e um breve currículo).
 
§ 1º Nas cópias da poesia não deverão constar os nomes dos autores, apenas o nome da obra, a identificação deverá ser feita em folha, à parte e anexada a obra.
§ 2º - Cada poeta poderá inscrever apenas uma poesia e a mesma não poderá conter mais que duas laudas (páginas).
§ 3º - Para as inscrições feitas via internet o texto deve vir acompanhado da identificação do autor (Nome, endereço completo, telefone, e-mail e um breve currículo).
 
Art. 8º Os promotores do evento não se obrigam a devolver o material utilizado para as inscrições, ficando os mesmos na guarda da Comissão Permanente da FLIBO para posterior reprodução em livro.
 
Art. 9º O ato da inscrição implica automaticamente na aceitação integral por parte dos concorrentes dos termos deste Regulamento.
 
III – DO JULGAMENTO:
 
Art. 10 O Julgamento das obras será feita por uma comissão formada por quatro jurados de reconhecida experiência comprovada na cultura regional, que atribuirão notas de 0 a 10 ao material inscrito, sendo sua decisão soberana, não cabendo qualquer manifestação contrária.
 
PARÁGRAFO ÚNICO – Em caso de empates entre os três primeiros colocados o desempate se dará pela nota do 1º jurado, persistindo o empate os jurados serão contactados para atribuírem novas notas aos referidos trabalhos.
 
IV – DA PREMIAÇÃO:
 
Art. 11 A premiação do II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010 acontecerá no dia 20 de março de 2010, a partir das 19h30, no Centro de Formação Artística de Boqueirão (CEFAR), Boqueirão, PB, dentro da FLIBO 2010.
 
Art. 12 Os cinco primeiros colocados no II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia Regional 2010, receberão o Troféu Cactos de Poesia Regional 2010.
 
Art. 13 As poesias melhores colocadas farão parte do livro ANTOLOGIA POÉTICA do II Concurso Literário – Prêmio Cactos de Poesia, que será lançado posteriormente pela ABES.
 
Art. 14 Todos os participantes receberão certificado de participação independente da Classificação.
 
Art. 15 Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos pela Comissão Organizadora.
 
Boqueirão – PB, Janeiro de 2010
Comissão Organizadora
ABES
 
Mais informações:

Mirtes Waleska Sulpino
(83) 9132-7970
Comissão Organizadora
.