28 de dez de 2011

Na Paraíba, Lei cria a Política Estadual do Livro


Foi publicada no Diário Oficial deste dia 28/12 a Lei de autoria do Deputado Arnaldo Monteiro estabelecendo a Política Estadual do Livro.

LEI Nº 9.637, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2011
AUTORIA: DEPUTADO ARNALDO MONTEIRO
Estabelece a Política Estadual do Livro.

O GOVERNADOR DO ESTADO DA PARAÍBA:

Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º Fica criada a Política Estadual do Livro tendo como princípios fundamentais a democratização ao seu acesso, a implantação de novas bibliotecas, qualificação das existentes e o aumento do seu acervo.

Art. 2º A Política Estadual do Livro tem como objetivos específicos:
I – ampliar o acesso de pessoas, estudantes e trabalhadores;
II – elevar o nível qualitativo do acervo;
III – incentivar a produção literária, autoral e editorial.
IV – construir o plano estadual do livro associando-o às novas tecnologias da informação.

Art. 3º O Plano Estadual do Livr o ampliará o ace sso ao livro com as seguintes iniciativas:
I – implantação de bibliotecas em todas as escolas públicas do Estado;
II – apoiar as demandas populares pela criação de bibliotecas populares;
III – garantia de um acervo mínimo incluindo livros em Braille, livros digitais, jornais, revistas e outras publicações periódicas;
VI – incorporar em todas as bibliotecas o uso da tecnologia da informação e comunicação.
Parágrafo único. As bibliotecas já existentes e as serem implantadas deverão apresentar plano de gestão, sustentabilidade e a integração com a rede existente.

Art. 4º A Política Estadual do Livro por seus órgãos responsáveis pela criação do plano deverão:
I – apoiar as bibliotecas existentes;
II – criar o sistema estadual de bibliotecas de uso público;
III – fortalecer as bibliotecas públicas de uso coletivo e as localizadas no âmbito das escolas integrando-as com as tecnologias da informação e comunicação.

Art. 5º Para concretizar a difusão do livro no plano estadual serão promovidas ações, programas e projetos tendo os seguintes objetivos:
I – garantir a distribuição gratuita de livros didáticos e paradidáticos;
II – garantir que os livros publicados em projetos de educação e cidadania sejam doados em quantidade suficiente às bibliotecas das escolas estaduais e às de uso público.
III – estimular campanhas de doação do livro;
IV – estimular a participação em feira de livro no Estado.
V – incentivar a produção editorial e estadual, observando-se as condições de qualidade, quantidade, distribuição, promoção, preço e diversidade dos livros.

Art. 6º A unidade orçamentária envolvida na criação e execução do Plano Estadual do Livro estabelecerá na lei orçamentária anual, as ações e metas relativas com seus projetos e ações.

Art. 7º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA, em João Pessoa, 27
de dezembro de 2011; 123º da Proclamação da República.

26 de dez de 2011

Leia Mais, Seja Mais



Uma campanha de valorização da leitura como hábito que gera prazer e conhecimento e, assim, projeta um outro tamanho para os sonhos e as conquistas pessoais. É com este mote que o Ministério da Cultura lança hoje, em todo o país, campanha publicitária com o slogan Leia Mais, Seja Mais.

A ação ocupa as páginas de 74 jornais de todos os estados –como Folha, Globo, A Crítica, Zero Hora, Estado de Minas e outros–, ao mesmo tempo que tem início também nas edições especiais de fim de ano de quatro revistas semanais nacionais –Veja, Época, Istoé e CartaCapital.

O desafio lançado pela campanha ultrapassa a esfera individual: instiga as pessoas a ler com seus filhos e a incentivar uma criança ou jovem a apreciar os livros e a freqüentar bibliotecas.

Confesso que Li


O Centro de Arte e Cultura (CAC) da UEPB e o Núcleo Literário Blecaute promoveram o lançamento do livro “Confesso que Li”, da Editora Ideia, organizado pelas professoras e escritoras Neide Medeiros Santos e Yó Limeira. O evento aconteceu no dia 13 de dezembro, e contou com a presença de vários escritores e das poetisas Mirtes Waleska Sulpino e Jane Luiz Gomes, representando a ABES.



A obra é uma coletânea de textos produzidos por 34 escritores paraibanos, na qual relatam suas memórias de leitores durante a infância e a adolescência. Segundo as organizadoras, o título da publicação foi parafraseado de um livro de memórias do poeta chileno Pablo Neruda, denominado “Confesso que vivi”.

No lançamento estiveram presentes parte dos escritores da coletânea, José Mario da Silva, Bruno Gaudêncio e Cláudio Limeira; tendo a professora Vitória Lima como apresentadora.

Por ABES

13 de dez de 2011

Assinatura, de Valberto Cardoso





O escritor Valberto Cardoso enviou um exemplar do seu mais novo livro, publicado pela Editora Ideia, para a Associação Boqueirãoense de Escritores (ABES). "Assinatura", que segundo a escritora Janaína Azevedo, é um “livro evocativo, onde nada é amargura ou tensão. Tudo é constatação: o tempo, os afetos, o amor e a morte”. Para Beliza Áurea “Este livro de Valberto Cardoso é uma Assinatura fenomenológica. Une uma arqueologia de imagens de verdades íntimas, pressentidas pelo olhar ‘maduro, enfurecido’, à palavra sem ‘tempo pro descanso’.


O poeta Valberto Cardoso nasceu em Areia (PB), mas reside atualmente em João Pessoa. Foi premiado em antologias através do Concurso Nacional de Poesia Cassiano Ricardo, pela UNB, e Concurso Nacional Helena Kolody. É autor também do livro A Invenção do Dia (poemas, UFPB, 2009).

O poeta falando sobre o seu livro

Por ABES

Despoemas de Roberto Menezes



Despoemas é o terceiro livro de Roberto Menezes. É uma reunião de dez textos em prosa baseados em poemas de autores parahybanos, (se não de sangue, de coração). São poemas publicados nos últimos quinze anos e fazem um panorama atual, do ponto de vista do autor, de parte da literatura feita por essas bandas. Por ordem de aparecença no livro, eles são: Antônio Mariano, Abrahão Costa Andrade, Bruno Gaudêncio, Ronaldo Monte, Leo Barbosa, Jairo Cézar, Lau Siqueira, Thiago Lia Fook, André Ricardo Aguiar, Águia Mendes.

O lançamento do livro em João Pessoa contou com a presença da poetisa Magna Vanuza Farias, Secretária da ABES.

Magna e o autor, Roberto Menezes
Por ABES

Redescobrindo o prazer da Leitura


O I Sarau Poético da Escola Criativa da Mônica aconteceu neste dia 12 de dezembro, encerrando o projeto "Redescobrindo o prazer da Leitura" iniciado pela Professora Andreza Matias com os alunos do 6º e 7º ano.

Na ocasião, os alunos leram poemas de Carlos Drummond de Andrade, Oswald de Andrade, Cecília Meireles, Olavo Bilac, dentre outros e ainda apresentaram poemas dos escritores membros da ABES, Shirley Vasconcelos, Magna Vanuza Farias, Mirtes Waleska Sulpino e Jane Luiz Gomes. A professora Andreza, explicou que todos os textos foram escolhidos pelos próprios alunos nas oficinas realizadas durante o projeto. Uma das oficinas sobre produção de texto, contou com a presença da Presidente da ABES, Mirtes Waleska que participou de um bate-papo com os alunos da escola.

Bate-papo com os alunos do 7º ano


Estiveram presentes ao Sarau, os poetas Malcy Negreiros, Kléber Brito e Mirtes Waleska Sulpino. A ABES agradece o convite da Escola e parabeniza a professora Andreza e toda a equipe da escola e ainda aos alunos que declamaram com tanto afinco os poemas e exibiram, em painéis, as suas publicações produzidas nas oficinas. 

Por ABES

9 de dez de 2011

Em março, Boqueirão se transforma na cidade das "Rimas e Letras"



A ABES em parceria com a Prefeitura de Boqueirão e Secretaria de Cultura divulgaram a data da 3ª edição da Feira Literária de Boqueirão, que terá como tema NORDESTE: LITERATURA E TEATRO, do texto ao palco, homenageando Bráulio Tavares e Lourdes Ramalho. 

Na programação, palestras, debates, shows de MPB em Praça Pública, oficinas, contações de histórias, seminários, apresentações de dança, música, teatro cinema e poesia ao pé do ouvido. Tudo isso de 21 a 25 de março de 2012 na cidade de Boqueirão - Paraíba.


Por ABES

23 de nov de 2011

FLIBO no Circuito Nacional de Feiras de Livros


Com o objetivo de promover a literatura e trazer o autor para a mediação direta com o leitor, a feira vem ganhando destaque não apenas na Paraíba, mas, em todo o Brasil. Em sua segunda edição, a FLIBO (Feira Literária de Boqueirão) entrou para o Calendário Anual de Feiras Literárias realizadas em todo o Brasil. Realizada pela Associação Boqueirãoense de Escritores e Prefeitura Municipal de Boqueirão, a FLIBO já está nos preparativos para a próxima edição a realizar-se em março de 2012.

O Circuito Nacional de Feiras de Livros é um calendário das feiras de livros realizadas anualmente no País. São eventos para promover os livros, a literatura e a leitura organizados por governos estaduais, prefeituras, entidades de editores e livreiros, ONGs, empresas, escolas e outros parceiros.

Ao organizar e sistematizar um calendário anual – uma antiga demanda dos organizadores de feiras, expositores, escritores e promotores da leitura – o Circuito Nacional de Feiras de Livros vai permitir melhor planejamento, integração de programação cultural e maior participação das cadeias produtiva e criativa do livro e todos aqueles que atuam para formar leitores e desenvolver a leitura no Brasil.

Para apoiar as feiras do livro existentes e estimular a criação de novas pelo interior do Brasil, principalmente em pequenas e médias cidades, a Fundação Biblioteca Nacional e o Ministério da Cultura criaram um programa para apoiar esses eventos.

O calendário das feiras é sistematizado pela Fundação Biblioteca Nacional, por meio de sua Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas, e Câmara Brasileira do Livro (CBL). O Circuito Nacional de Feiras de Livro tem o apoio das entidades do livro – Sindicato Nacional de Editores de Livros (SNEL), Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) , Associação Nacional de Livrarias (ANL), Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL), Associação Brasileira das Editoras Universitários (ABEU), Câmara Rio- Grandense do Livro e as câmaras regionais, que realizam ou apóiam boa parte desses eventos pelo país afora.


16 de nov de 2011

"...Dentro do sonho há poesia..."


"Dentro do sonho há poesia" é o nome da exposição dos Novos Escritores do Cariri Paraibano que estará em exibição durante os cinco dias do 5º Balaio Cultural de Boqueirão, que acontece de 16 a 20 de novembro, no Centro de Formação Artística de Boqueirão (CEFAR).

A exposição reúne poemas dos escritores da Associação Boqueirãoense de Escritores (ABES), Jane Luiz Gomes, Mirtes Waleska Sulpino, Magna Vanuza Araújo, Shirley Vasconcelos, Aparecida Farias, Gelda Moura, Maxwell F. Dantas e Malcy Negreiros; os poemas são expostos em forma de banners. Amor, sensualidade, perda e sonhos são alguns dos temas dos poemas. A ABES foi fundada em fevereiro de 2009 e desde então vem mudando o cenário poético do Cariri Paraibano.









15 de nov de 2011

CIRCUITO LITERÁRIO


Acontece no Balaio Cultural nos dias 17 e 18 de novembro de 2011 (quinta e sexta-feira).

Como dizem os próprios escritores: “Escrever é um ato solitário”. A leitura também é, quase sempre, uma viagem íntima e silenciosa. O texto literário requer do leitor, sensibilidade, pois pretende introduzi-lo numa viagem fantástica onde – quase – tudo é possível. Assim, a Literatura é vista não como ciência, mas como exercício de sensibilidade.

O projeto CIRCUITO LITERÁRIO propõe aproximar autor e leitor, para um bate-papo informal sobre o livro e a paixão de ler. “Alimenta trocas, instiga a criatividade, estimula quem escreve e quem lê”, demonstrando que todos os caminhos para a Literatura são válidos. O importante é segui-los!

Em meio a apresentações Teatrais, Espetáculos de Dança, de Música, a Literatura ganha um vasto espaço neste quinto Balaio Cultural, que acontece de 16 a 20 de novembro. Serão dois dias destinados às Letras, 17 e 18, com palestras, lançamentos literários, saraus e parede poética.

Escritores e críticos de reconhecido mérito cultural compõe o corpo de palestrantes que estarão presentes no CIRCUITO LITERÁRIO, com curadoria da poetisa Mirtes Waleska Sulpino e mediados pelo poeta, historiador e jornalista Bruno Gaudêncio.

DATA: 16/11
Local: CEFAR
19h - Abertura da exposição "...dentro do sonho há poesia" da ABES, composta de 10 painéis.

DATA: 17/11
Local: Câmara Municipal

14h-15h
Mesa 1: Quando a Literatura transforma...
Com: Lau Siqueira (PB/RS) e André Ricardo Aguiar (PB)
Lançamento Literário

15h-16h
Mesa 2: O papel das revistas culturais na Paraíba
Com: Laryssa Almeida (Revista Barriguda | PB)
Lançamento Literário

DATA: 18/11
Local: Câmara Municipal

14h-15h
Mesa 1: Senhores do destino – recompor biografias e dar voz ao passado: pesquisa e ficcionalização da história.
Com: Samarone Lima (PE)
Lançamento Literário

15h-16h
Mesa 2: O Teatro em Lourdes Ramalho
Com: Adeilson Sousa (PB) e Chico Oliveira (PB)

PALESTRANTES

SAMARONE LIMA é natural do Crato, Ceará. É recifense desde 1987. É autor dos livros Zé (1998), Clamor (2003), Estuário (2005) e Viagem ao crepúsculo (2009). Trabalha como assessor de imprensa do secretário do Governo do Estado de Pernambuco, o escritor Ariano Suassuna. Está concluindo um livro sobre as aulas-espetáculo de Ariano, que ao mesmo tempo é uma viagem à origem do autor de A Pedra do Reino e Auto da Compadecida como professor de estética e defensor da cultura brasileira. Samarone também revisa seu primeiro livro de poesias, sua grande paixão literária. Escreve semanalmente crônicas em seu blog: www.estuario.com.br.

LAU SIQUEIRA Poeta gaúcho radicado na Paraíba (João Pessoa). Autor dos seguintes livros de poemas: O Comício das Veias (Idéia, 1993), O Guardador de Sorrisos (Trema, 1998), Sem Meias Palavras (Idéia, 2002) e Texto Sentido (Bagaço, 2007). Diretor adjunto da FUNJOPE - Fundação Cultural de João Pessoa. Tem vários poemas publicados nos principais sites e blogs de literatura do país. Edita o blog: http://poesia-sim-poesia.blogspot.com/.

ANDRÉ RICARDO AGUIAR Natural de Itabaiana/PB, (1969) Publicou A flor em construção (1992); Alvenaria (Prêmio Novos Autores Paraibanos, 1997); de literatura infanto-juvenil: O rato que roeu o rei (2007) e Pequenas reinações (2007). Colaborador assíduo do Correio das Artes, tem trabalhos publicados na revista Poesia Sempre, Blocos (RJ), em antologias e jornais locais. Edita os blogues Fábula Portátil e Engrenagem. Atualmente é Diretor da Divisão de Literatura da FUNJOPE.

LARYSSA MAYARA ALVES DE ALMEIDA, acadêmica do Curso de Direito da Universidade Estadual da Paraíba; Membro fundador e Editora-Chefe da Revista Científica e Cultural “A Barriguda”.

Balaio Cultural de Boqueirão, edição 2011



Mais um espetáculo se aproxima. 

Abram as cortinas. Acendam as luzes. O Balaio chegou e veio trazendo música, dança, teatro, poesia e sonhos. Muitos sonhos! Sonhos de todos os artistas que veem o palco como parte de si, como algo fundamental à sua própria existência. Onde o ser e estar se confundem quando o espetáculo começa e a plateia silencia em respeito a Cultura.
Cultura que desperta os adormecidos, que traz luz aos que andam na escuridão e se perdem no "lugar comum", no "medo de ousar", no "medo de sorrir". 
O Balaio Cultural de Boqueirão chega a sua quinta edição, e se consolida como um dos maiores eventos culturais da Paraíba, com mais de 50 atrações e seis estados envolvidos nessa verdadeira empreitada cultural, que acontece de 16 a 20 de novembro. 
Venha banhar-se de cultura na "Cidade das Águas" e encher os olhos e a alma de poesia. Poesia em forma de arte, arte em forma de sonhos. Sonhos que se tornaram realidade e hoje se concretizam através da realização da quinta edição do Balaio Cultural de Boqueirão.
Parabéns a todos os idealizadores desse projeto. Erasmo Rafael da Costa, secretário de cultura e Carlos José Castro Marques, prefeito de Boqueirão e ao grande entusiasta da nossa cultura, Dunga Jr.

Mirtes Waleska Sulpino
Presidente da ABES

12 de set de 2011

POR ONDE ANDAM OS JOVENS NOMES QUE FAZEM A LITERATURA NA PARAÍBA?

Jornal da Paraíba, 21 de Agosto de 2011

Passada a quarta edição do Agosto das Letras, evento que, até anteontem, promoveu um diálogo entre autores locais e escritores de fora do Estado, a questão ainda ecoa na estreiteza das ruas ao redor do Ponto de Cem Réis: após a Geração de 59, os grupos Sanhauá e Caravela, os focos já heterogêneos de poetas, contistas, cronistas e romancistas que gravitaram em torno de suplementos literários (os extintos e os ainda editados), que nomes têm renovado a literatura paraibana com o entusiasmo de sua juventude?

O JORNAL DA PARAÍBA foi à cata da resposta e achou um número considerável de círculos literários que vêm atuando na esfera estadual e estendendo sua influência, através da internet e das mídias digitais, os domínios da prosa e do verso que praticam com regularidade, coletivamente. “Não somos uma geração e não formamos um movimento, pelo menos por enquanto. Sobretudo, porque não temos uma só identidade literária, uma estética própria. O que temos é a vontade de descentralizar a literatura paraibana, antes focada em João Pessoa, e interiorizá-la, conduzindo também para cidades como Campina Grande, Boqueirão, Santa Rita, Sapé ou Cajazeiras”, afirma Bruno Gaudêncio, jovem que, além de escritor, jornalista e historiador, é um dos membros articuladores de um corpo de palavras que está se erguendo através da ação de muitos braços, como o Clube do Conto, o Núcleo Caixa Baixa, o Núcleo Blecaute e a Associação Boqueirãoense de Escritores. “Quase todos os círculos tiveram como ponto de partida a necessidade de trocarmos experiências sobre a escrita. As reuniões são quase sempre informais e todos são espécies de ‘oficineiros’ e ‘oficinados’”, conta Roberto Menezes, representante do Clube do Conto que, segundo André Ricardo Aguiar, um de seus membros mais antigos, “é uma entidade anarco-organizada, sediada num ponto indefinido preciso, com contos que falam e contistas que ouvem mudos”. De acordo com Roberto Menezes, as ‘regras do jogo’ não são assim tão flexíveis, nem tão rigorosas: “Nos reunimos semanalmente, aos sábados, no piso superior do Shopping Sul, em João Pessoa. As reuniões são marcadas para as 17h, mas podem começar ou não neste horário. Para participar basta levar um conto, ou um ouvido. Temos 50 membros, mas já houve dias de ninguém aparecer, ou de ir um só membro.

DIÁLOGO APRENDIZ

Integrante do Núcleo Caixa Baixa (que reúne também participantes do Clube do Conto), Bruno Gaudêncio comenta que os coletivos foram criados com a intenção de buscar um espaço entre as camadas de exercício literário da Paraíba e inspirados em figuras já consolidadas na literatura local, como Ronaldo Monte (que foi também um dos fundadores do Clube do Conto), Linaldo Guedes e Rinaldo de Fernandes, todos convidados do Agosto das Letras. “É importante frisar que não queremos romper com esta tradição literária, muito pelo contrário”, ressalta Bruno Gaudêncio. “Queremos aprender com ela, e também ter a humildade de quem está começando e se permitindo a errar”, diz o autor de Cântico Voraz do Precipício, livro de contos lançado no início do mês, em Campina Grande. Além de lançamentos de livros, palestras e recitais, os agrupamentos literários têm promovido desde eventos de dimensões mais íntimas, como recitais, varais e saraus, até mobilizações que já estão adquirindo repercussão e relevância no calendário cultural do Estado, como a Feira Literária de Boqueirão (Flibo), uma iniciativa da Abes que já coleciona duas edições e levou para o município da Borborema vultos como os de Ariano Suassuna, Bráulio Tavares, Jessier Quirino e Ronaldo Cunha Lima. Outra iniciativa é a Revista Blecaute, que foi a mola propulsora para a fundação do núcleo de mesmo nome. A publicação eletrônica, que lança seu 9º volume no próximo mês e veio à luz em novembro de 2008, está hospedada no site da Universidade Federal de Campina Grande (sites.uepb.com.br/revistablecaute) e é produzida por três escritores residentes na cidade: Jãn Macêdo, João Matias de Oliveira e o próprio Bruno Gaudêncio. “Acho um trunfo termos uma publicação associada a uma instituição num Estado que ainda carece de políticas de fomento à cultura”, opina Gaudêncio. Se a identidade de cada um dos escritores fica comprometida com a identidade dos grupos, Roberto Menezes responde: “A identidade de cada um está muito patente em cada um dos círculos. Nos influenciamos para melhorar. Até o momento está sendo edificante”.


6 de set de 2011

Feira Literária de Marechal Deodoro


De 7 a 11 de setembro acontece a 2ª edição da FLIMAR. A ABES agradece o convite do Secretário de Cultura do município, Carlito Lima, para que estejamos presentes durante o evento.



Nos dias 8 e 9/9, a Presidente da ABES, a escritora Mirtes Waleska Sulpino fará palestra sobre o "Significado de uma Festa Literária". 

Confira toda a programação aqui!

17 de ago de 2011

Escritores da ABES participam do Literatura em Revista


Realizado pelo CCBNB (Centro Cultural Banco do Nordeste) da cidade de Sousa (PB), o Literatura em Revista recebeu os "Novos Poetas do Cariri Paraibano" que apresentaram um Sarau com poemas que tratam de questões sociais. O evento aconteceu no último dia 11 de agosto e contou com a presença dos poetas Malcy Negreiros, Antonio Sarinho, Max Dantas e as poetisas Mirtes Waleska Sulpino, Shirley Vasconcelos e Jane Luiz Gomes.
O Sarau é apresentado pela ABES e acompanha a Exposição Novos Poetas do Cariri Paraibano com banners ilustrando os poemas.

 
 
 
 

 


Conheça os "Novos Poetas do Cariri Paraibano"

"Ouça" os Lusíadas


O Laboratório de Imagem e Som – do Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense – lançou o primeiro volume de Os Lusíadas A Todo Volume, que traz gravações em áudio (no formato áudio-livro virtual) do clássico Os Lusíadas. O primeiro convidado a ler o texto (na íntegra) foi o professor de Literatura Portuguesa e poeta Luís Maffei. A produção de áudio e sonoplastia foi realizada inteiramente por alunos de Letras da UFF. Esta produção tem finalidade didática e cultural de difusão da literatura e não se destina a fins comerciais. O LISUFF conta com apoio da FAPERJ e do CNPq. Para ouvir a gravação, clique no link abaixo:


Se preferir fazer o download do áudio, para convertê-lo em CD (através de players/gravadores), clique na seta à direita do ícone Soundcloud, da página.

Fonte: http://livroseafins.com/

27 de jul de 2011

O rejeitador

Nos Estados Unidos, os escritores não costumam fazer contato direto com as editoras. Esse papel é dos agentes literários, que recebem os originais e as cartas de apresentação dos escritores que desejam ser publicados. Boa parte desses livros é recusada e uma assistente de uma agência literária de Nova York resolveu fazer um blog sobre isso.

Essa garota, que mantém sua identidade em segredo, tem como trabalho ler as cartas e parte dos livros e aceitálos ou rejeitá-los. O conteúdo do blog é muito engraçado e, além de contar histórias que ninguém imaginaria que acontecem dentro de agências literárias, a garota dá dicas preciosas àqueles que querem ingressar no mercado editoral. No endereço http://rejecter.blogspot.com, em inglês.

21 de jul de 2011

ABES participa do Literatura em Revista no Centro Cultural do BNB em Sousa


Apresentações de Atividades Literárias
Parede poética: Novos Poetas do Cariri Paraibano
Associação Boqueirãoense (Boqueirão-PB) Dia 11, qui, 19h30
Poemas nascidos no solo quente do semiárido paraibano. Versos que falam da vida no Cariri com poemas de Dunga Jr, Malcy Negreiros, Mirtes Waleska, Shirley Vasconcelos, Jane L. Gomes, Gelda Moura, Maxwell Dantas e Magna Vanuza. 60min.

Confira a programação completa

Qual gênero literário é a sua cara?


Suspense, romance, poesia ou quem sabe uma biografia? São muitos os gêneros literários e mesmo os leitores mais ecléticos acabam se identificando mais com determinado gênero. Antes de escolher que livro levar com você nessas férias, que tal responder ao teste abaixo e descobrir qual tipo de literatura tem mais a ver com o seu perfil?

Vale lembrar que os resultados não são taxativos. A Estante Virtual entende que a personalidade de uma pessoa não pode ser resumida às respostas dadas às perguntas abaixo. Além disso, a escolha de um livro é um ato de prazer e liberdade. Não obedece a regras. Aqui na Estante, você pode escolher o que mais lhe agrada entre livros de todos os tempos, autores, editoras e assuntos. Responda ao teste como uma divertida brincadeira, boa leitura e boa viagem!

Dicas: anote suas respostas em um papel, some os pontos e confira os resultados ao final deste post.

20 de jul de 2011

Prêmio Literário José Lins do Rego



 
Já estão abertas as inscrições para o Prêmio Literário José Lins do Rego, iniciativa da Fundação Espaço Cultural (Funesc) em parceria com A União. Os interessados têm até 5 de setembro para enviar suas propostas e concorrer gratuitamente nos gêneros romance ou novela, poesia, infanto-juvenil, dramaturgia, ensaio literário e conto ou crônica.
O concurso é exclusivamente voltado aos autores naturais da Paraíba que morem ou não no Estado, como forma de incentivar a produção literária local. Serão selecionadas 10 obras, sendo duas em cada categoria. Os candidatos contemplados receberão, além da publicação de suas obras, prêmios em dinheiro no valor líquido de R$ 2 mil cada, por méritos iguais entre si, sem distinção de colocação, e 100 exemplares de sua obra, a título de direitos autorais em forma de produto.
De acordo com o regulamento, o prêmio tem a finalidade de estimular a criação e a divulgação de obras literárias de autores paraibanos, bem como dar oportunidade de revelar e reconhecer talentos em todos os municípios do Estado através da publicação de textos inéditos.
A inscrição é gratuita e a ficha, assim como o edital, podem ser acessados pelo site da Funesc (www.funesc.com.br).



Premiação

Serão selecionadas 10 obras, sendo duas de romances, duas de contos ou crônicas, duas de poesia, uma de dramaturgia, uma de ensaio e duas de literatura infanto-juvenil.
Serão impressos 600 exemplares de cada obra, a serem distribuídos em bibliotecas escolares e públicas estaduais, outras instituições do Estado e com os autores.
Os prêmios, em produto e dinheiro só serão entregues durante o período coincidente do lançamento das obras. A Funesc, juntamente com A União, terá prazo de até 12 meses para a edição e publicação das obras, a contar a partir da divulgação dos selecionados.

13 de jul de 2011

ABES tem projetos habilitados

 
CINEMAIS

A Secretaria de Educação e Cultura, através da Subsecretaria de Cultura (hoje, Secretaria de Cultura), em parceria com o Ministério da Cultura, lançou em 2010 o Edital CINE MAIS CULTURA, contemplando 40 municípios do interior do Estado que ainda não possuem este importante equipamento cultural.
O município de Boqueirão teve dois projetos habilitados e aguarda o parecer final da SECULT PB para receber esse Kit, as instituições que tiveram seus projetos habilitados foram a ABES (Associação Boqueirãoense de Escritores) e o CEFAR (Centro de Formação Artística de Boqueirão).
O Cine Mais Cultura é uma ação do Programa Mais Cultura, desenvolvido pelo Ministério da Cultura. O Cine Mais Cultura apóia a implantação e programação de salas de exibição audiovisual alternativas em municípios de todo país. O objetivo do programa é fomentar o desenvolvimento cultural em diversas regiões do Brasil, a partir da constituição de uma ampla rede de exibição e difusão audiovisual. Como conseqüência espera-se que os Cines promovam: a democratização do acesso a obras audiovisuais, com ênfase na produção brasileira; a formação de público com visão crítica; e a formação de redes sociais e culturais que viabilizem o intercâmbio e a divulgação de informações. Os CINES destinam-se, prioritariamente, a comunidades que não têm acesso ao cinema e a produções audiovisuais, situadas em pequenos municípios e periferias de grandes centros urbanos. A própria comunidade poderá escolher a programação do CINE conforme seus interesses e necessidades de informação e entretenimento.

PONTOS DE LEITURA

Ainda em 2010 o Governo Estadual lançou edital para seleção de 20 Pontos de Leitura, com o repasse de R$ 20.000,00 para cada ente selecionado. A ABES também teve seu projeto habilitado aguardando, com previsão de entrega para o segundo semestre de 2011, parecer final da SECULT PB.
O objetivo desses PONTOS DE LEITURA é realizar atividades para estímulo da atividade de leitura. O recurso é destinado para pequenas reformas, aquisição de mobiliário e equipamentos, além do acervo.

Fonte: Caderno de Cultura da Subsecretaria de Cultura, 2011.

Sede da Associação

Jogo da Literatura

Da Editora Abril

Avalie seus conhecimentos sobre 25 clássicos da Literatura Nacional e Estrangeira.

http://revistaescola.abril.com.br/swf/jogos/jogoLiteratura/jogoLiteratura.swf

Não um manifesto, uma manifestação



Uma "Rosa do Povo" germina em Boqueirão. Um eco de poesia dali; um causo contado acolá; contos e crônicas fervilhando por aí, e uma radícula de Literatuta de forma, e se inquieta, e quer brotar. Quando as condições ambientais são favoráveis, a semente germina. Uma raiz feita de letras quer romper o solo da inércia, ver a luz de uma aurora poética. E ela rompe. Vê-se agora uma caule: ele está lá, entre macambiras e xiquexiques, entre pedras e preás, ao regalo de um vento sem direção, mas sob um sol acolhedor. O tempo passa, o vento empurra, o sol aquece, a imesidão de um açude inspira, enquanto versos e parágrafos se entrelaçam e se retorcem, formando sutilmente galhos e espinhos: a Rosa está a caminhos! Desses galhos surgem vozes, surgem visões, surgem razões e delírios: um frêmito de arte se mistura à seiva desta planta, cujas folhas, viçosas, anunciam o desabrochar da Literatura em Boqueirão. Sou capaz de ouvir Drummond dizendo: "[...] um ouvido mais fino que escuta, um peito de artista que incha, e uma rosa se abre [...]". É Drummond... nós cultivamos essa Rosa, e nos regozijamos com o perfume de suas pétalas. Reguem, reguem essa Rosa, e propaguem o seu perfume.


Maxwell F. Dantas
(Membro da ABES)
Texto lido no encerramento da II FLIBO

Retomada


membros da ABES, governador Ricardo Coutinho,
prefeito Carlos José e o escritor Ariano Suassuna

 
Saudações Literárias!

Caros colegas escritores e leitores,

Após uma parada, não das atividades da Associação, mas das postagens do BLOG, retomamos com o compromisso de mantermos o blog da ABES atualizado, como uma prestação de serviços à todos que contribuem e simpatizam com o nosso trabalho que muito tem contribuído (sem falsa modéstia) para o engradecimento lítero-cultural da nossa região.

Este ano a ABES desenvolveu algumas atividades, dentre elas a FLIBO - Feira Literária de Boqueirão, que este ano junto com a Prefeitura, em nome do Prefeito Carlos José, de Dunga Júnior, do Secretário de Cultura Erasmo Rafael, da Secretária de Turismo Cléa Cordeiro, da Assessora de Imprensa Andréa Azevedo, da Presidente do CEFAR Josefa Pereira, da Secretária de Assistência Social Lúcia Batista, do Presidente da Câmara Renato Araújo, do Secretário de Infraestrutura Egnaldo Bernardino, do Secretário de Educação Eraldo Alves - e todas as escolas do município -, e demais Secretarias que contribuíram direta e indiretamente para a realização deste evento cultural, que se firmou em nosso Estado. Ressaltamos ainda, o apoio do Governo do Estado em nome do Secretário de Cultura Chico César, da Universidade Estadual da Paraíba em nome da Reitora Marlene Alves, a EDUEPB na pessoa do Prof. Sidoval e ainda a FUNJOPE com o grande Lau Siqueira e sua equipe e a FUNESC em nome de Lu Maia e toda sua equipe; também sem esquecer a ABRAEC em nome da Profa. Sudha e suas alunas que foram responsáveis - com maestria - pelos minicursos; ao pessoal do Núcleo Literário Caixa Baixa e Revista Blecaute, grandes grupos da literatura paraibana contemporânea; ao pessoal do FORUM Paraibano do Livro e da Leitura, que lançaram durante a feira o Plano Estadual do Livro e da Leitura da Paraíba.

Todos esses atores unidos em prol da cultura, cidadania, diversidade e LITERATURA; enfim, em nome da PROSA e da POESIA.

A FLIBO em sua primeira edição, mostrou que veio para ficar. Em 2010, contou com a presença de grandes nomes da literatura paraibana e nacional, à exemplo de Bráulio Tavares, com show de abertura do Poeta Jessier Quirino e homenageou o Escritor Paraibano Ronaldo Cunha Lima. Em 2011, seu segundo ano, mais uma vez, as águas de março trouxeram poesia à "Cidade das Águas"; foi a vez de prestar homenagem a um dos maiores escritores paraibanos, Autor do Auto da Compadecida, Ariano Suassuna, natural dessas terras daqui do Cariri.

Muita gente esteve conosco durante esta segunda edição. E queremos agradecer em VERSO e PROSA a presença de todos, dos que vieram daqui de pertinho, Astier Basílio, Samelly Xavier, Rodrigo Apolinário, Cris Leandro, Helder Pinheiro, Pedro dos Santos (Arca das Letras), Ailton Elisiário e Eneida Agra Maracajá; e dos que vieram de longe também, como Janaina Rico, Ana Brasil, Fredy Fevereiro, Carlito Lima, Isabelle Valadares, Bráulio Tavares e o grande mestre e homenageado ARIANO SUASSUNA.

Todos nós que fazemos a ABES agradecemos a todos os filhos de Boqueirão que abraçaram a FLIBO na Marcha pela Literatura, que levou às ruas da cidade os alunos do município e ainda alunos de outras cidades que estavam visitando a feira.

Os poetas de Boqueirão bradaram seus versos pelos quatro cantos da cidade, e foram ouvidos com a “poesia ao pé do ouvido”, declamados pelos “meninos de Marlene”.

Aqui foi plantada a semente. E como disse o repórter, até livro dá em árvore! “São os pés de livros” da Praça da ABES, cujas sementes são regadas o ano inteiro para florescerem em março, mês que acontece a FLIBO.

ABES,
Julho de 2011.