14 de jun de 2012

O que é poesia para você?




A poesia é o que faz um "poema" um poema; ou, o que dá no mesmo, é o que faz de um poema um poema bom. Também se pode dizer: é a propriedade do poema enquanto poema. É a propriedade que torna um objeto - em particular, um objeto verbal - algo que, mesmo sendo inútil, mereça existir. Se fosse possível descrever esta propriedade, seria possível dar uma receita de poema. Isso, porém, é impossível. Como diz Montaigne, é mais fácil produzir poesia do que conhecê-la. "Em certa medida baixa", afirma ele, "pode-se julgá-la pelos preceitos e pela arte [isto é, pela técnica]. Mas a boa, a excessiva, a divina está acima das regras e da razão". É que a razão é apenas uma das faculdades humanas; ora, a poesia é produzida e apreciada com todas as faculdades humanas, inclusive as não-racionais, elevadas ao seu mais alto grau. 

(Antonio Cicero, O que é poesia? - Org. Edson Cruz - Confraria do Vento|Caliban).

4 de jun de 2012

MANIFESTO POR UMA PARAÍBA LEITORA



O Manifesto por uma Paraíba Leitora faz parte do Movimento por um Brasil Literário e foi lançado em 31 de maio de 2012, durante o Encontro de Incidência em Políticas Públicas da Paraíba, realizado pelo Polo de Leitura na Rede e objetiva expressar o compromisso da cadeia mediadora de leitura literária da Região Metropolitana de João Pessoa em expandir o debate a cerca da importância da leitura e mobilizar esforços para a construção dos planos municipais e do Plano Estadual do Livro e Leitura do Estado da Paraíba.


MANIFESTO POR UMA PARAÍBA LEITORA
Ler, um direito de todos

Houve um momento na história humana em que o conhecimento esteve diretamente relacionado à imediata necessidade de sobrevivência. Todo o esforço dos indivíduos era canalizado na perspectiva de conhecer e dominar o espaço, agir sobre ele, de modo a garantir sua existência, observa Luiz Percival Leme Brito*. Passada essa fase primitiva da história e garantidos os recursos fundamentais para a sobrevivência, homens e mulheres se desprenderam do imediato e se lançam na infinda aventura de indagar as razões de ser, agir e sentir o mundo. As crianças nascem imersas num mundo fantástico e fantasioso de experimentos e conhecimento, fruto da acumulação histórica. Seu espírito está imbuído da necessidade de especular sobre a vida e confrontar os arranjos que a cercam e a norteiam. Desta forma surge a filosofia cujo interesse é a indagação sobre a existência, a ciência preocupada em conhecer a organização da matéria, a política centrada na organização coletiva da sociedade e a arte focada em expressar a condição da existência humana, em todas as dimensões reais e possíveis, e em tornar-nos capazes, através da poderosa faculdade da imaginação, de criar os projetos que nos levem adiante no processo de humanização.

Sem a imaginação, compartida por todos, não há projeto de futuro melhor. Neste sentido a literatura, como parte da arte, constitui, na sociedade contemporânea, um dos exercícios fundamentais de expressão, compreensão, inserção e criação social, não somente capaz de manifestar as inquietações e percepções do indivíduo e da sociedade real, mas, e sobretudo, de fazer circular na coletividade, a busca de aperfeiçoamento da condição humana, a partir da representação e da invenção.

Partindo do princípio de que a leitura e a escrita são sustentáculos da sociedade contemporânea, condição imprescindível para a inserção dos indivíduos nos arranjos sociais da atualidade, e na projeção de um futuro digno, e do fato de que um contingente expressivo da população brasileira, encontra-se excluído do acesso a esse bem cultural, o Polo de Leitura na Rede com o apoio do Programa Prazer em Ler, expressa sua intenção e compromisso de contribuir para a democratização do acesso ao livro, incidindo na defesa e garantia de políticas públicas de leitura e estimulando o gosto e a fruição literária a fim de contribuir para a construção de uma sociedade paraibana de leitores.

Posto que a leitura e a escrita constituem-se como recursos capazes de melhorar as condições de vida e as possibilidades de emancipação do indivíduo no mundo, reconhecemos a literatura como direito básico e fundamental para a formação de todos os cidadãos e cidadãs brasileiros. Nesta perspectiva, afirmamos nosso compromisso de sensibilizar, articular e mobilizar forças para a construção do Plano Estadual do Livro e Leitura (PELL), convocando os distintos segmentos da sociedade civil paraibana, comprometidos com o processo de criação, produção, circulação e mediação do livro, o Poder Legislativo Estadual e o Poder Executivo para estruturar e sancionar a Lei Estadual do Livro do Estado da Paraíba.

Não queremos ser leitores privilegiados na sociedade. Mas, fazer parte do privilégio de sermos uma sociedade de leitores.

Contatos: jbenebrito@gmail.com
leituranarede@hotmail.com

José BENEdito de BRITO / Colaboração: Maria Valéria Rezende

IFPB - João Pessoa, 31 de maio de 2012.

(* Literatura, conhecimento e liberdade, in: Nos caminhos da literatura, Peirópolis, 2008.)


Concurso de Poesia Cante o Cariri



Encerrada as inscrições do Concurso de Poesia "Cante o Cariri", organizado pelo Cuca (Centro Cultural do Cariri). Segundo o Coordenador Geral, Evaldo Costa, o concurso obteve cerca de 200 inscrições.

De acordo com o Regulamento do Concurso Cante o Cariri, os poemas que não estivessem de acordo com a temática proposta, o Cariri Paraibano, seria automaticamente desclassificado. A divulgação do resultado final ocorrerá no dia 22 de junho de 2012, no site do Centro Cultural do Cariri – Cuca.

Cada categoria contará com a seguinte premiação:

1º Colocado de cada categoria:
  • 01 computador pessoal portátil, no valor máximo de R$ 1 mil.
  • 01 Certificado
2º Colocado:
  • 01 Um minicomputador do tipo tablet, no valor de até R$ 500,00
  • 01 Certificado
3º Colocado:
  • 01 Um telefone celular no valor de até R$ 300,00
  • 01 Certificado

Serão atribuídos ainda prêmios “menção honrosa” a até dez poetas que sejam escolhidos como autores dos melhores poemas não classificados nas duas categorias principais.